Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008

Os (DES)povoados do outro lado do rio (Tejo)

Caros


Os meus domingos no Alentejo, no meu Gavião, entristecem-me a cada passeio que faço... 


Desta vez decidi ir visitar as aldeias do outro lado do rio (Tejo), foi ver e conhecer as ruas, os traços as pessoas, tudo isto para lá de Belver... A dita capital do estranho território, capital que é mais Beirã que Alentejana, digamos então que é uma Beira diferente!

 

 

 

 

Começo em Alvisquer, onde o Vitarina percorre ruas por vezes trancadas por carros, em que tenho de fazer inversão de marcha por várias vezes, e onde os senhores de idade muito avançada ao vislumbrar a minha t-shirt preta e os óculos à turista, me transformam quase certamente, num agente do mal!

 

Meu caro sou seu conterrâneo (a cada dia menos), é verdade!

 

 

Próximo lugar, a aldeia da Areia! Espanto-me com o lugar, pois tem "clube" e espaço comunitário para festas populares de Agosto (cimentado), porém não vejo uma única criança... uma das entradas do povoado não poderia deixar de ser uns "lavadouros" (começa a ser uma imagem marcante das minhas viagens pelo concelho).

 

 

 

 

 

A próxima paragem não é inocentemente uma aldeia sem que eu não tenho nenhuma informação, é a aldeia de uma "antiga" colega de escola... que pelos vistos também está emigrada em Lisboa! Retenho-me um pouco mais nesta aldeia, aqui ainda por haver esperança, apesar de na Fonte nas suas pinturas não o indicarem...

Vale Pedro Dias

 

 

 

 

Vale de Coelho, fica na minha mente a placa do inicio da vila toda amolgada, duas casas, ninguém na rua... uma tristeza, que deserto meu DEUS!

 

 

Furtado, eis o destino que numa rua de alcatrão se resume, ao menos as casas tem flores bonitas, aqui "há gente", apesar de eu continuar sem ver ninguém... 

 

Passemos então para a localidade "Domingos da Vinha", a mais próxima da A23 (a antiga IP6), há alguns anos falava-se que por aqui poderia passar o sucesso de Gavião, já não acredito nisso!

 

 

Porém os responsáveis pensam que sim, e para além de terem melhorado esta via de forma bastante visível (quase que numa descriminação demasiadamente positiva comparando com restantes vias), esta localidade bem como a(s) seguinte(s) - Arriacha Cimeira e Fundeira tem placas indicativas XXL para além da placa iconográfica "ALENTEJO" (...)

 

 

 

Por último, eis que chego a Belver, capital da "província" raptada à beira e entrega a um Alentejo perdido! Note-se a(s) diferença(s) humana(s), pessoas na rua a(s) desfrutar o seu tempo na rua...

 

 

 

A diferença(s) entre Belver  e as restantes aldeias consignadas é tanta (e a todos os níveis), que me sinto obrigado a comentar... Reparem bem neste candeeiro que a Belver/ Município de Gavião comprou por alguns milhares de euros (por unidade) enquanto que os nomes das ruas das restantes aldeias estão inscritas a tinta numa parede "qualquer"... só que fosse um azulejo, já tornava tudo mais digno ...

 

Candeeiro numa rua em Belver

 

 

"Pintura indicativa" de Rua dos Marmeleiros em Arriacha Fundeira

 

 

 

 

"Pintura indicativa" de Rua Vasco da Gama em Furtado

 

Apesar de tudo meus amigos, foi bom passear pela freguesia de Belver, respirar o ar puro é sempre a melhor forma de exorcizar os nossos males...

 

Cumprimentos

 

 


publicado por Paulo José Matos às 00:05
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De João Chamiço a 6 de Outubro de 2008 às 23:48
Pois é! Dantes, o regime tentava impedir os jornaleiros de deixar os campos do Alentejo para que os lavradores tivessem muios lacaios a trabalhar mortos de fome.
Então, cada um fugiu para onde pode, e a "emorragia" não não para. É uma ferida aberta tornada crónica no coração do nosso Concelho e não só. C.be a todos nós, cada um à sua maneira, ir pondo mercúrio na chaga antes que as bactérias tomem conta dela definitivamente.

Um abraço, João Chamiço


De Anónimo a 12 de Outubro de 2008 às 01:29
Esqueceste-te de ir aos Outeiros (Cimeiro e Fundeiro), Vilar da Mó, Torres (Cimeira e Fundeira).

Mas o retrato que traçaste não ficou, com isso, desfigurado.

Usas expressões fortes ("...a Belver/ Município de Gavião ...") para aludir a uma realidade de contornos quase obscenos (este vocabulário já é meu). Na verdade, poderias ter passado a uma trilogia, pois ficou a faltar, no mínimo, a referência a uma certa colectividade desportiva...

"Algo está podre, no reino da Dinamarca"





De Paulo José Matos a 12 de Outubro de 2008 às 09:37
Bom dia

Antes de mais, agradeço o seu comentário.

Em relação a não ter ido as restantes localidades da freguesia, como deves ter reparado nas fotos, eu só tenho o "Domingo à tarde para dar uma volta"! :-) é que durante o inicio da noite de Domingo tenho de vir para Lisboa trabalhar... Tentei ir as localidades mais esquecidas!

Ja agora, o que queres dizer com colectividade desportiva ou mesmo trilogia ?


De Anónimo a 9 de Julho de 2009 às 05:28
olheiro . amigo tenho visitado o teu blog sempre que posso ,gosto faz falta a todos nos .qualquer critica faz falta seja construtiva ou não mas estes políticos nazis não entendem não passam de cobardes por isso ignoram este espaço massss andam por cá a espreitar o que se diz. agora estou de ferias vou tentar passar por cá mais vezes. queria aproveitar para dizer que vilar da mó é certamente das localidades mais esquecidas, mas ainda bem que não passaste por lá chega de tristezas. abraço


De José Diniz a 2 de Janeiro de 2009 às 20:47
COMENTÁRIO INGÉNUO: Não me diga que o Presidente da Câmara cultiva a discriminação entre as povoações do seu Concelho?


De Paulo José Matos a 5 de Janeiro de 2009 às 23:21
Antes de mais, agradeço o seu comentário.

Em relação à sua pergunta retórica(...) devo referir que disse aquilo que é evidente ou seja: os custos com "ornamentos" ou "simbolos institucionais" são diferentes entre as aldeias em análise.


De José Diniz a 7 de Janeiro de 2009 às 14:55
Grato pela resposta.

Na verdade, dentro do possível procuro estar atento ao que se vai passando no concelho de onde sou natural.

As diferenças de tratamento entre as diversas povoações são demasiado evidentes, para que as possamos ignorar.

Se esses critérios forem sendo denunciados, talvez seja possível diminuir essa má prática politica.

cumprimentos

José Diniz


De Paulo José Matos a 7 de Janeiro de 2009 às 15:17
Caro José Diniz,

Todos os dias eu tento "puxar" os que assim quiserem para escrevam neste blog (dado que é partilhado) o vai na alma do povo, pela voz de cada um!

O que acontece no concelho de Gavião é por demais evidente, e só tenho pena de ser mais um operário dos tempos modernos... é preciso alguém com poderio financeiro pessoal para enfrentar a oligarquia existente...




De Olga Gomes Teixeira a 22 de Outubro de 2009 às 13:52
Foi pena não ter passado pelo Outeiro Fundeiro. Se lá for passe pela casa grande e teremos muito gosto em lhe mostrar novas iniciativas que se abrem à população do conselho e visitantes. Um abraço Olga


De Nelson Gomes Martinho a 27 de Dezembro de 2009 às 20:03
A freguesia de Belver tem de facto um encanto especial que nos fascina de alguma forma. O Outeiro Fundeiro é a minha paixão. Sempre que posso "refugio-me" na minha casinha de pedra. Já agora, peço desculpa ao autor do blog, mas aproveito para perguntar à Olga Gomes Teixeira, quais são as novas iniciativas na casa grande. Como não estou lá permanentemente, desconheço as iniciativas embora adorasse saber quais são e eventualmente participar. Um abraço


Comentar post

.mais sobre mim

.Quem nos visita é de:

.Junho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Encontro 4Ls passou por B...

. Belver, apesar de tudo fa...

. ...

. TOADA DE PORTALEGRE (DE J...

. O refúgio perdido... Font...

. Novo site de Ponte de Sor

. ...

. Os (DES)povoados do outro...

. Novo flyer +500 Visitas

. O Comentário deixado ao p...

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.participar

. participe neste blog

SAPO Blogs

.subscrever feeds